Opinião

Fabíola Cardoso

Despoluir um rio não é impossível

Despoluir o Nabão é possível. Haja vontade política de quem governa, trabalho técnico competente e capacidade de candidatura a financiamentos europeus.

Fabíola Cardoso

Produção solar fotovoltaica sim, mas….

Assistimos ao nascimento de um novo problema ambiental que ocupa milhares de hectares no Ribatejo: proliferam os projetos de enormes centrais solares na Azambuja, Cartaxo, Alenquer, Santarém, Chamusca, Rio Maior ou Benavente.

Fabíola Cardoso

Ecovia do Tejo: um caminho de esperança

A ONU instituiu o dia 3 de junho como Dia Mundial da Bicicleta. Foi este o dia escolhido pelo Bloco de Esquerda para divulgar a proposta legislativa que defende a criação da Grande Ecovia do Tejo: um percurso ciclável e pedestre, de Espanha a Lisboa, junto ao rio Tejo.

Bloco de Esquerda, através do seu Vereador Luís Gomes fez aprovar por unanimidade proposta de recomendação de uma campanha ambiental em Salvaterra de Magos.

De um modo geral, em Portugal os erros da gestão da flora silvestre são uma constante. Muitas vezes, mal começa a primavera, altura do ano em que muitas espécies da nossa flora e fauna se renovam e reproduzem, vários operacionais ao serviço de autarquias e empresas públicas e privadas, estão a eliminar as ervas espontâneas em flor, um erro repetido todos os anos por empresas como EDP, REN, Infraestruturas de Portugal (IP), Autarquias e Juntas de Freguesia do país inteiro. 

A gestão adequada da flora silvestre, a sua conservação, assim como a conservação da biodiversidade, que inclui insetos polinizadores das culturas hortícolas e árvores de fruto, mas também muitas outras espécies animais co dependentes, é uma das áreas de educação ambiental fundamentais.

O Bloco de Esquerda tem nos últimos anos manifestado grandes preocupações com a resposta do SNS no nosso concelho. Em particular na resposta de médicos de família aos utentes do nosso concelho. Temos igualmente apresentado diversas propostas para responder a esta lacuna estrutural no concelho de Salvaterra de Magos.

Infelizmente os problemas persistem, seja na resposta às necessidades de médicos de família, seja em enfermeiros, nas diversas especialidades do SNS, nas condições das infraestruturas dos centros de saúde e mesmo na disponibilidade de materiais médicos.

Continuamos a não compreender a incapacidade da maioria em responder à manutenção do edificado público municipal. Temos e continuaremos a insistir na preservação do nosso património edificado, não consideramos aceitável a degradação em que se encontram diversos edifícios municipais nas diversas áreas e funções municipais.

Não preservar o nosso edificado publico é diminuir a qualidade de vida dos nossos munícipes, assim como delapidar o nosso património.

No dia 1 de maio de 1886, em Chicago, milhares de trabalhadores saíram às ruas exigindo direitos laborais. Este dia é relembrado pelo slogan que ficou a ecoar na história “Oito horas de trabalho, oito horas de lazer, e oito horas de descanso”, mas também pela trágica morte de vários ativistas, mortos pela repressão policial que disparou cegamente sobre a multidão que exigia direitos e dignidade. Apesar da repressão os trabalhadores continuaram a luta, que viria a resultar, anos mais tarde, em ganhos de direitos e de liberdade para a maioria da classe trabalhadora.

O ano de 2022 marca o arranque das celebrações do 50º aniversário da Revolução de Abril, que se assinalarão ao longo de 5 anos (2022 a 2026). É tempo de lembrar a história da resistência à ditadura e ao colonialismo, convocar a memória e a atualidade dos dias da Revolução, de transformação e de esperança que deram origem à democracia portuguesa, e contra a opressão.

Foi através da ação desencadeada pelos Capitães de Abril, apoiada pelo Povo, que se terminou com a ditadura fascista do Estado Novo, que se pôs fim à PIDE, que se acabou com a censura, que se libertaram os presos políticos e se terminou com a guerra colonial. A Revolução restituiu aos Portugueses os direitos e liberdades fundamentais.

Páginas