Opinião

Carlos Matias

O populismo também é incendiário

O populismo insinua-se na análise das causas e das soluções para os incêndios rurais; simplifica o que é complexo, apontando uns quantos “culpados”, apregoa umas receitas de cartilha, elide os interesses em confronto e foge à definição concreta do conteúdo das “reformas” por fazer. Ora, aqui é que “bate o ponto”….

José Manuel Pureza

Uma nova respiração

Há movimento social em Portugal. A manifestação de jovens na Avenida da Liberdade contra a violência racista, a greve feminista e a greve estudantil pelo clima mostram essa nova vitalidade do movimento social, a sua criatividade propositiva e a sua determinação transformadora. E, mais que tudo, têm a força irreprimível da juventude.

Francisco Cordeiro

Vida ou lucro?

A polémica sobre a Celtejo foi-se diluindo com o tempo, mas os problemas de poluição no rio Tejo têm persistido.

O Bloco de Esquerda volta, mais uma vez, a manifestar o seu desagrado perante a passividade e inoperância, do Presidente da autarquia, no que toca à recuperação e manutenção do património desportivo municipal, neste caso, o pavilhão municipal da Glória do Ribatejo. Mesmo após a realização de intervenções, estas são apenas parciais, ou seja, remendos em vez de solução.

Para o Bloco de Esquerda é essencial mudar o sistema para que o clima não mude, dando nota que apenas 100 empresas emitem 71% das emissões de gases de estufa. Apelamos, portanto, à cimeira do clima, a COP25, que está a decorrer em Madrid, esperando que esta conferência produza resultados com a adoção de políticas e metas concretas para o combate à crise climática, uma das exigências da greve climática estudantil.

O Bloco de Esquerda vem desta forma congratular-se pela nova forma de gestão do município. O Presidente da autarquia e o seu executivo agora “dão despacho” diretamente nas redes sociais. Isto se não fosse trágico até tinha a sua piada, pois depois de inúmeros pedidos de intervenção do Bloco acerca da intransitabilidade das estradas de terra batida no concelho, foi a denuncia cidadã que conseguiu a reação deste “inanimado” executivo socialista.

Urge perguntar, e o Bloco de Esquerdo já o fez variadíssimas vezes, qual a situação da concessão da Barragem de Magos? em que moldes é que funciona? será que está efetivamente a funcionar? E se está a funcionar, qual a extensão do que foi concessionado? São todas perguntas pertinentes e carecem de resposta urgente por parte do executivo socialista.

O Bloco de Esquerda faz aprovar em reunião de câmara, apelo coletivo ao governo para que intervenha na defesa dos direitos dos trabalhadores, nomeadamente para que sejam revertidas todas as medidas laborais do tempo da troika e que o horário normal de trabalho seja fixado em 35 horas de trabalho no sector privado, à semelhança do que existe no público, de modo a que sejam gerados mais postos de trabalho, bem como se possa conciliar a vida laboral com a pessoal.

Páginas