Opinião

Fabíola Cardoso

Despoluir um rio não é impossível

Despoluir o Nabão é possível. Haja vontade política de quem governa, trabalho técnico competente e capacidade de candidatura a financiamentos europeus.

Fabíola Cardoso

Produção solar fotovoltaica sim, mas….

Assistimos ao nascimento de um novo problema ambiental que ocupa milhares de hectares no Ribatejo: proliferam os projetos de enormes centrais solares na Azambuja, Cartaxo, Alenquer, Santarém, Chamusca, Rio Maior ou Benavente.

Fabíola Cardoso

Ecovia do Tejo: um caminho de esperança

A ONU instituiu o dia 3 de junho como Dia Mundial da Bicicleta. Foi este o dia escolhido pelo Bloco de Esquerda para divulgar a proposta legislativa que defende a criação da Grande Ecovia do Tejo: um percurso ciclável e pedestre, de Espanha a Lisboa, junto ao rio Tejo.

No contexto pandémico em que nos encontramos as vertentes de uma política social e de saúde têm que se intensificar e estar presente na política local. A previsão apresentada pelos responsáveis e especialistas na área da saúde, colocam-nos um cenário de uma possível nova vaga pandémica, assim como um inverno muito difícil na área dos cuidados de saúde, nomeadamente em contágios de diversos vírus, nomeadamente na vertente respiratória.

Neste sentido o Bloco de Esquerda coloca novamente a pertinência de medidas que nos preparem para responder aos mais carenciados e desprotegidos, tanto na área da saúde e de apoio social. Porque defendemos um programa de emergência autárquico que não deixe ninguém para trás, propomos medidas de prevenção de forma a responder às necessidades emergentes:

A partir do dia 1 de dezembro será declarado o Estado de Calamidade para Portugal continental, com novas medidas de contenção da pandemia de COVID-19. A testagem regular, a recomendação do teletrabalho e o uso obrigatório de máscaras em espaços fechados são algumas das regras a adotar.

O 25 de novembro foi instituído pelas Nações Unidas como o dia Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra as Mulheres. E, em Portugal, tem sido assinalado como um dia de alerta e de luta pelos direitos das mulheres.

Ano após ano, os números da violência contra as mulheres continuam a envergonhar o país. De acordo com o Relatório Anual de Segurança Interna (RASI) mais recente, apesar de ter diminuído face ao ano anterior, em 2020 a violência doméstica contra cônjuge ou situação análoga continuou a ser o crime mais participado em Portugal, representando 85% das mais de 27 mil queixas por violência doméstica. Sendo que do total de vítimas de violência doméstica, a maioria são mulheres e raparigas (75%), enquanto que a maioria dos denunciados são homens (81,4%).

São já muitas as dezenas de projetos de acesso a fundos comunitários, que passaram ao lado deste concelho por inação do Presidente e seu executivo. O executivo continua a deixar passar prazos de candidaturas a programas e projetos de desenvolvimento do concelho

O Bloco de Esquerda através do Vereador Luís Gomes, tentou, sem sucesso saber que iniciativas têm sido tomadas para acompanhar as candidaturas ao Programa PRR - Plano de Recuperação e Resiliência?

As dificuldades que assolam o país tende a piorar, muito em particular, as pessoas de menores recursos e mais indefesas. Estas preocupações levaram o Bloco de Esquerda a propor a criação de respostas renovadas em benefício da comunidade idosa do Concelho, considerando oportuno a implementação do Programa de comparticipação na aquisição de medicamentos, a atribuir pelo Município.

O Bloco de esquerda está preocupado com a falta de divulgação da mesma, existindo inclusive IPSS`s que não têm conhecimento deste apoio à população mais desfavorecida, com a transparência do regulamento e com o alcance restrito do mesmo.

Páginas